Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Entre o Aqui e o Ali..

A vida faz-nos querer estar em muitos sítios. Ansiamos por amanhã mas desejamos ser ainda ontem.. Queremos ficar aqui mas ao mesmo tempo que sonhamos já estar ali... É a incerteza que nos conduz pela estrada, cheia de curvas, até ao futuro!!

Entre o Aqui e o Ali..

A vida faz-nos querer estar em muitos sítios. Ansiamos por amanhã mas desejamos ser ainda ontem.. Queremos ficar aqui mas ao mesmo tempo que sonhamos já estar ali... É a incerteza que nos conduz pela estrada, cheia de curvas, até ao futuro!!

Vai ser nesta..

 

 

Desde pequena que sonho com um casamento de princesa.. um vestido de princesa..um carro de princesa e até uma passeira vermelha que me fizesse sentir uma princesa no passeio da fama..

Mesmo antes de me ser feito um maravilhoso e emocionante pedido de casamento tinha comentado com o F. "Não vou casar na Igreja aqui da terra.. Não consigo sentir nenhum conforto ali dentro e,..., não tem passadeira vermelha."

 

Decidimos: vamos casar na Igreja do Montijo. É onde actualmente moramos, é a meia distância do noivo e da noiva e parece-nos simpática (por fora.. dado que ainda não tínhamos entrado nela para ver como era por dentro).

Passaram 10 meses desde esse dia, e até sexta-feira ainda não a conhecia. O peso na consciência já se apoderava de mim.. Pensava que este era mais um pecado que vou ter que confessar ao Sr. Padre. Queria muito ter passado lá antes, para ver como era, para rezar um pouco (sim, também gosto de rezar pois faz-me sentir confortada, que alguém naquele momento está a olhar para mim e a ouvir as minhas preces..).

 

Na sexta-feira saía da paróquia. Tinha que ir lá entregar a certidão para casamento católico preparada no cartório, mas por motivos de férias da senhora responsável ficou sem efeito. Pensei vou passar pelo largo e ver se a Igreja está aberta. E não era que estava mesmo? Como que a completar o pensamento um lugar para estacionar mesmo perto da entrada. Entrei e sentei-me. Por momentos detive-me a contemplar o espaço. Depois rezei. No fim, em silêncio comigo mesma apercebi-me que estava confortada, que estava calma como se o mundo lá fora não se apresentasse a confusão habitual, o stress das profissões, a tristezas dos problemas e das doenças.. Pensei Sinto-me mesmo bem aqui, e estou tão contente por ter escolhido esta Igreja para um dos dias mais felizes da minha vida. Não tem passadeira? Não sei.. mas irei contornar a questão..


Sempre disse que o Montijo era uma terra que me era totalmente indiferente. Apesar de cá ter nascido, fui registada no Ribatejo na terra dos papás. Nunca pensaria em viver nesta cidade junto a uma ponte que rapidamente nos conduz a Lisboa. Hoje vejo que o destino me trocou as voltas: cá nasci, cá estou a morar, e cá vou casar.. Como diz o provérbio "O bom filho a casa torna" e cá estou eu.

3 comentários

Comentar post