Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Entre o Aqui e o Ali..

A vida faz-nos querer estar em muitos sítios. Ansiamos por amanhã mas desejamos ser ainda ontem.. Queremos ficar aqui mas ao mesmo tempo que sonhamos já estar ali... É a incerteza que nos conduz pela estrada, cheia de curvas, até ao futuro!!

Entre o Aqui e o Ali..

A vida faz-nos querer estar em muitos sítios. Ansiamos por amanhã mas desejamos ser ainda ontem.. Queremos ficar aqui mas ao mesmo tempo que sonhamos já estar ali... É a incerteza que nos conduz pela estrada, cheia de curvas, até ao futuro!!

Não é o embrulho que conta..

Hoje alguém me dizia: "V. Não é o embrulho que conta, mas sim o que vai lá dentro. E o que tem aí dentro é muito mais importante que aquilo que você acha sobre o embrulho."

 

E eu sorri. Percebi a mensagem, mas é difícil aceitá-la como verdade inequívoca. O certo é que para a balança o que conta é o embrulho. E esse embrulho está cada vez pior..

Inspira e Expira

 

 

 

E há coisa pior que passar uma manhã inteira prolongada até ao almoço dentro de um hospital (mesmo que seja o Hospital da Luz que é todo XPTO, cheio de "minha senhora faça favor", "minha senhora piso 0"), a fazer análises, exames e mais exames??

 

Sim há.. É ter que voltar lá sábado novamente porque não as análises não foram todas feitas...

 

"Patience is a virtue" - Já diziam os antigos, e eu estou concentrada nessa paciência toda que há-de chegar por obra divina de modo a conseguir aguentar uma nova manhã. Eu sou uma resistente..


 

 

 

 

Ps: Dado que nem tudo é mau, a parte boa da dita manhã foi que tive sempre ao meu lado aquele que me aquece o coração todos os dias {#emotions_dlg.heart}

With you again..

Faz tempo que não passo por aqui! Não que não tenha vontade. Simplesmente não tenho conseguido que as palavras me saiam dos dedos, da cabeça, da garganta tal não é a baralhação que por aqui anda. Neste pequeno espaço que é o crânio, as palavras misturam-se, atropelam-se umas ás outras e depois acabam por se esconder, com receio de serem as primeiras a ser reveladas.

 

2010 acabou com um cansaço extremo. 2011 não começou melhor.

A vida dá voltas e voltas.. e nós nunca sabemos onde essas voltas nos irão levar. Que pensamentos nos irão trazer. A que decisões nos vão conduzir. Mas uma coisa é certa: o que hoje achamos que é concreto, com toda a certeza amanhã poderá já não ser. E muitas vezes somos confrontados com momentos, situações, acontecimentos que estavam tão longe da nossa mais pura imaginação, que acabamos sempre por pensar: como é que isto foi possível?

 

2010 trouxe-me coisas boas. Trouxe-me o Reiki (um dia conto-te como foi), trouxe-me o meu "super carro lindo", trouxe-me o ginásio (continuo a ir lá, mas não com a regularidade com que gostava), entre outros. Mas também me trouxe a angústia, o desespero, a dor, o sofrimento. Foi um ano de sentimentos confusos, conflituosos e ambíguos.

 

Mas 2011 conseguiu trazer-me coisas bem bonitas para já: Paris. Um sonho de muito tempo. A cidade das luzes que me encheu de voltade de lá voltar. Ou quem sabe lá viver!!

Espero de 2011 o melhor.. mas também o pior. Para que quando chegar não seja uma surpresa como outrora foi.

Do lado errado da porta!

E alguém já se viu sentada no chão..

 

Em cima do tapete de entrada..

 

Da entrada da própria casa..

 

Sem conseguir passar para o lado certo da porta..

 

Porque simplesmente não tem chave?

 

Nem queiram.. É assim que estou e não é propriamente confortável..

 

Já cheira a Tunísia...

Estou tão ansiosa por esta semana de férias que até lhe sinto o cheiro..

Decididamente férias tem que ser bem longe do local de trabalho. Sem telefones nem telemóveis de fácil acesso, não vá o diabo tecê-las.

 

Desde que fui de lua-de-mel para o Riu Palace Riviera Maya, que ganhei uma paixão especial por esta cadeia de hotéis. Há quem diga que os Grand Bahia Príncipe são melhores (outros dizem que são piores), o certo é que não consigo em caso de empate abandonar um Riu em detrimento de um Bahia Príncipe. E essa escolha verificou-se nestas férias para comemorar as Bodas de Papel. Vamos visitar a Tunísia (tal como a Pingo de Mel, apenas com uma semana de diferença).

 

E vai ser aqui :) que eu me vou (permitam-me a expressão) refastelar ao sol. Eu, o príncipe e os amigos - o JP e a S.

 

Descanso, praia, descanso, comer, praia, dormir, comer, descanso.... (Ok ok S., nós até podemos fazer uma aula de hidroginastica! Mas só uma).

 

Já tenho o cérebro em repeat.. :) Descanso.. Praia.. Comer.. Dormir...

 

Confiante

Querido ginásio,

 

aproveito este momento de pausa para te escrever. Nunca fui uma pessoa de grandes amores pelo teu Ser. Afinal, tu acabas por causar desconforto e irritação quando as pessoas não têm uma relação séria e constante contigo. Sempre consegui encontrar meios para te fugir. Desculpa com o tempo; desculpa com as horas; a casa por arrumar; a roupa por passar. Muito trabalho; o sair tarde; o sair cedo. Facilmente me justificava perante a ausência de mais um dia.

Mas agora espero que seja diferente. Os motivos de saúde já são bem fortes, assim como a parte de "ancas largas; rabo gordo e grande; pernas grossas; barriga inchada; braços que dizem adeus duas vezes". E são esses os motivos que me levam a fazer sacrifícios, e a deixar a carteira mais magra.

 

Não vai ser fácil não. Eu vou ter de me habituar a ti, e tu vais ter de te habituar a mim. Ás minhas indecisões, ás minhas não vontades, ás minhas birras e aos meus "não consigo". Mas tenho esperança que vai ser desta, que vou conseguir ser mais saudável (e menos gorda), que me vou habituar ao teu espaço, ás tuas modalidades tão diferentes, que me permitem variar sempre que queira, para não ficar aborrecida.

Tenho esperança que me consigas ajudar nos momentos de dor e sofrimentos; nos momentos de angústia e de raiva; que consigas soltar de mim toda aquela energia negativa que, a pouco e pouco quando acumulada, nos consegue conduzir para o abismo.

 

Espero passar a gostar muito de ti!

 

Até breve!

 

V.

 

Férias (Mini) - Campismo

Se não fossem aqueles 15 dias de lua-de-mel no ano passado, poderia estar perante a seguinte afirmação: já passei mais de dois anos sem ter férias, o que na realidade e vida de stress em que (todos) nós vivemos tal pode ser significativo de uma grande sobrecarga a nível de neurónios (o que ainda me resta).

 

E desta decidimos: vamos de fim-de-semana prolongado antes que o nosso poder de concentração se torne tão ínfimos que já não consígamos conter o nível de stress nos mínimos decentes.

 

Como diz um amigo meu: "Só me apetece brigar e discutir", e dado que eu estou quase a atingir esse nível, fui descansar um fim-de-semana à pacata cidade de quarteira. E nada melhor que levar a bela da tenda para umas noites junto da natureza!! Aqui ficam umas memórias!

 

 

 

 

 

 

 

Em busca do caminho..

 

 

 

Os dias têm passado a correr, desde a última vez que por cá passei. Correram tanto que já passou um mês. Mas estaria a mentir se dissesse que não passo por aqui. Passo. E muitas vezes. O problema é que ultimamente a cabeça, o coração e a razão não têm andado de mão dada, e isso faz com que a tempestade que navega aqui dentro seja bastante forte. Tão forte que me faz perder o rumo; me faz ter dificuldade em encontrar o caminho que me leve a terra tranquila e serena.

 

Entrei aqui várias vezes, tentando pegar nas letras do teclado como se fosses as teclas do piano, e nelas tocar a música que tem sido a minha vida nos últimos meses. A dificuldade está em conseguir encontrar a nota principal, ou o fio condutor necessário a uma melodia. As teclas sobrepõem-se; as palavras atropelam-se e o resultado final não passa de um grande emaranhado de sentimentos; de pensamentos; de vontades. De certezas e de dúvidas. De tão bem querer o certo, como ter a certeza que vamos seguir o errado. De não querer magoar nem ficar ferido. De querer ser o tudo e o nada.

 

Ao longo dos nossos momentos na vida, vamos sempre lutando contra muitos obstáculos. E é com persistência e afirmação que conseguimos ultrapassa-los. Eu tenho lutado contra um; algo bastante forte e determinado, que teima em colocar-me indecisa sem um desejo firme e concreto; que me faz ficar triste e angustiada; que me leva para sonhos estranhos e turbulentos. Nos últimos dias tenho lutado contra o maior obstáculo que (por vezes) me aparece na vida: EU própria!!

Na estreia mundial!!

 

 

E eu estive lá. Com os bilhetes guardados na carteira fazia três semanas (tanto tempo que as letras quase tinham desaparecido). Com o principe e a mana ao meu lado. Até perto das 03h00. E com uma emoção gigante. Sim, somos fãs desta saga (mais eu e a mana), e vibrámos com todas aquelas personagens e com todas as cenas.

Confesso que continuo a preferir os livros. Devorei os últimos 3 (não cheguei a ler o primeiro) num ápice. E foi uma sensação bastante estranha. Porquê? Porque não tive que esperar na ansiedade por saber a continuação da história. Porque tinha ali mesmo ao meu lado o seguimento de todo este enredo. Porque comecei e acabei toda esta saga que me deixou fascinada pelo mundo do cavalheirismo vampiresco!! E porque foi fantástico ler tudo aquilo!!

 

Agora é esperar pelo novo filme. Mas esse só para o ano.

 

Entretanto, vamos ver de novo? :)