Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Entre o Aqui e o Ali..

A vida faz-nos querer estar em muitos sítios. Ansiamos por amanhã mas desejamos ser ainda ontem.. Queremos ficar aqui mas ao mesmo tempo que sonhamos já estar ali... É a incerteza que nos conduz pela estrada, cheia de curvas, até ao futuro!!

Entre o Aqui e o Ali..

A vida faz-nos querer estar em muitos sítios. Ansiamos por amanhã mas desejamos ser ainda ontem.. Queremos ficar aqui mas ao mesmo tempo que sonhamos já estar ali... É a incerteza que nos conduz pela estrada, cheia de curvas, até ao futuro!!

De mãos dadas!

 

Elotopia.net

 

Lembro-me como se fosse hoje. Rompiam as 17H30. Lá fora a chuva caía miudinha. Após uma manhã de aulas, a tarde avizinhava-se ser de trabalho - sociologia na família. E foi depois de muitas horas de roda de folhas e mais folhas, livros, trabalhos antigos e opiniões variadas, concordantes e discordantes, que ele surgiu.

Foi o primeiro beijo, mas ainda hoje se fechar os olhos consigo senti-lo. Consigo saber exactamente como e onde começou. As palavras que disseste a seguir, o que os teus olhos quiseram transmitir e aquilo que a tua vontade te impelia a fazer. Deixámo-nos assim. Na dúvida. Na ansiedade. Na esperança de uma noite curtinha e de um dia seguinte bastante longo. Na vontade de estar e mais estar.

As semanas seguintes foram preenchidas de grandes sentimentos. Confusos. Contraditórios. Intensos. Horas passadas na estação de comboios, com a imitação perfeita da gravação "Atenção senhores passageiros, o comboio sub-urbano com destino a Roma/Areeiro vai entrar na linha nº 4". Não importava que as horas passassem. Que o almoço se fundisse com o jantar. Importava que estivessemos juntos. O mais tempo possível.

Passados dois meses, foi numa viagem de comboio que me iria levar até casa, que soletraste "Queres namorar comigo? Sim! (sorrisos)". Rompiam as 17h30.

Podia tentar descrever o que foram estes 7 anos. De namoro. Como casal. De alegrias e tristezas. De conquistas e barreiras. De sofrimentos e felicidade. De lágrimas. De sorrisos. De abraços. De amor. De paixão. De cumplicidade e ajuda. De apoio e de alerta. De amizade. De sentimentos.

Dizem que 7 é o numero dos azares, mas eu espero que não. Espero que neste sétimo ano consiga chegar ainda mais longe contigo. E ainda mais rápido (sabes como!!).

Sei que à 7 anos não poderia ter dado outra resposta à tua pergunta, senão aquela. Que não poderia ter escolhido outro abraço, senão o teu. Que não poderia ter sorrido para outra pessoa, senão para ti. Que não poderíamos ter escolhido outro amor, senão o nosso.

Certeza tenho, que é a ti que quero dar a mão sempre que andarmos na praia, pois és o meu (D)amorado do Mar. Ontem. Hoje. Amanhã. E Sempre.

 

 

Ass: Alentejana, baixinha, rodas baixas, fofa (...) ou simplesmente Eu.

Dia dos namorados!

 

 

Não que tenhamos sempre dado especial valor a este dia. Dia dos namorados deve ser todos os dias, mesmo depois de já sermos marido e mulher.

Ontem foi dia de namorados. E foi como namorados, como casal e como apaixonados que o vivemos (e só nós sabemos como).

E como França poderá estar nos nossos Horizontes, aqui fica:

 

 

Aqui ou do outro lado do mundo! Pois é contigo que me sinto bem. És tu quem me faz feliz. É o teu sorriso que me encanta todas as manhãs e todas as noites. E são os teus abraços e os teus beijos que enxugam minhas lágrimas. É é contigo que quero estar, em todos os dias de namorados que existirem.

 

 

Sempre mais

 

"A L. chegou.." Sabia que já sorria mesmo sem consciência disso! O nosso momento juntas estava a chegar. Mesmo ali, dentro do refúgio das minhas paredes, onde pude guardar o abraço forte, o sorriso rasgado, o "V. tas boa?". Sei que todos os minutos foram poucos. Queríamos sempre mais. Mais um chá.. Mais umas palavras.. Mais um sorriso.. Mais umas fotos.. Mais uns momentos.. Mais um abraço apertadinho. Daqueles que nos fazem sentir um arrepio, que nos aquecem o coração, que nos enchem de alegria e felicidade e nos inundam os olhos de lágrimas de contentamento. As lágrimas que consegui controlar quando a vi entrar, radiante como sempre, pela porta do meu refúgio. As lágrimas que fechei cá dentro quando a vi partir no elevador, sempre com a promessa de que voltaremos a jantar muito em breve.

Mais? Não quero dizer.. Vou guardar cá dentro, no cantinho das recordações felizes. Só para mim. No cantinho onde recorro sempre que a saudade aperta e que me liberta para um sorriso! E vou esperar por mais.. O mais rapidamente possível!

Abraço..

Não sei bem porquê, mas sempre fui uma pessoa carente de abraços... Quando vejo a minha familia e os meus amigos os simples beijos não me confortam, e é a necessidade de algo mais que me faz abraçar todos aqueles de quem gosto e de quem sinto saudades..

Não me lembro bem quando foi o primeiro abraço que demos... mas sei precisamente o local e que foi intenso.. tão intenso que me fez apaixonar naquele instante..

 

Soube a conforto, a amizade e a companheirismo, mas principalmente soube a amor.. E ambos sabemos que foram esses abraços que nos uniram ao longo destes anos e que nos enchem de paixão sempre que precisamos de a exprimir.. Não que tenhamos falado muito sobre isso, mas lá no fundo ambos sabemos que foi por isso que nos apaixonámos..

No outro dia, carente de um abraço, perguntei-te "lembras-te porque me apaixonei por ti?" Sem resposta, aninhaste-me nos teus braços e eu voltei a estar novamente naquela estação dos comboios, num dia de Inverno, com um casaco branco e com o mesmo pensamento "Quero ter este abraço junto de mim para sempre..."